quarta-feira, 27 de junho de 2012

O VERDADEIRO AMOR




Um famoso professor se encontrou com um grupo de jovens que falava contra o casamento.
Argumentavam que o que mantém um casal é o romantismo e que é preferível acabar com a relação quando este se apaga, em vez de se submeter à triste monotonia do matrimônio.
O mestre disse que respeitava sua opinião, mas lhes contou a seguinte história:
...
“Meus pais viveram 55 anos casados. Numa manhã minha mãe descia as escadas para preparar o café e sofreu um enfarto.
Meu
pai correu até ela, levantou-a como pôde e quase se arrastando a levou até à caminhonete.
Dirigiu a toda velocidade até o hospital, mas quando chegou, infelizmente ela já estava morta.
Durante o velório, meu pai não falou.
Ficava o tempo todo olhando para o nada. Quase não chorou. Eu e meus irmãos tentamos, em vão, quebrar a nostalgia recordando momentos engraçados.
Na hora do
sepultamento, papai, já mais calmo, passou a mão sobre o caixão e falou com sentida emoção: “- Meus filhos, foram 55 bons anos…Ninguém pode falar do amor verdadeiro se não tem idéia do que é compartilhar a vida com alguém por tanto tempo.”
Fez uma pausa, enxugou as lágrimas e continuou: “- Ela e eu estivemos juntos em muitas crises.
Mudei de emprego, renovamos toda a mobília quando vendemos a casa e mudamos de cidade.
Compartilhamos a alegria de ver nossos filhos concluírem a faculdade, choramos um ao lado do outro quando entes queridos partiam. Oramos juntos na sala de espera de alguns hospitais, nos apoiamos na hora da dor, e perdoamos nossos erros…
Filhos, agora ela se foi e estou contente. E vocês sabem por que? Porque ela se foi antes de mim e não teve que viver a agonia e a dor de me enterrar, de ficar só depois da minha partida. Sou eu que vou passar por essa situação, e agradeço a Deus por isso. Eu a amo tanto que não gostaria que sofresse assim… “
Quando meu pai terminou de falar, meus irmãos e eu estávamos com os rostos cobertos de lágrimas. Nós o abraçamos e ele nos consolava, dizendo: “Está tudo bem, meus filhos, podemos ir para casa.”
E, por fim, o
professor concluiu: Naquele dia entendi o que é o verdadeiro amor. Está muito além do romantismo, e não tem muito a ver com o erotismo, mas se vincula ao trabalho e ao cuidado a que se professam duas pessoas realmente comprometidas.

Quando o mestre terminou de falar, os jovens universitários não puderam argumentar.
Pois esse tipo de amor era algo que não conheciam.
O verdadeiro amor se revela nos pequenos gestos, no dia-a-dia e por todos os dias.
O verdadeiro amor não é egoísta, não é presunçoso, nem alimenta o desejo de posse sobre a pessoa amada.

“Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado com certeza chegará mais longe e terá a indescritível alegria de compartilhar, alegria esta que a solidão nega a todos que a possuem…”

LEIA:




quinta-feira, 21 de junho de 2012

SER LIVRE




Ser livre é ter tempo para
as coisas que se ama.
É abraçar, se entregar, sonhar,
recomeçar...
É desenvolver a arte de pensar
e proteger a emoção...
Mas acima de tudo,
ser livre é ter um caso de amor
com  DEUS!







IRÃ AFIRMA QUE POSSUI MANUSCRITO DA BÍBLIA



 

Irã afirma que possui manuscrito antigo da Bíblia que “desacreditará o cristianismo”

Material encontrado na Turquia é conhecido como “A Bíblia de Barnabé”
O governo do Irã divulgou ontem (25) que um manuscrito da Bíblia, com 1500 anos de idade e que contém “novos ensinamentos” atribuídos a Jesus Cristo, é capaz de causar o colapso do cristianismo.
O livro com mais de 1500 anos foi confiscado na Turquia em 2000, durante a investigação e prisão de uma quadrilha de contrabandistas de antiguidades, apontam os relatórios do jornal Daily Mail. As páginas do livro, do século V ou VI, são de couro tratado e estão escritas em um dialeto do aramaico, língua falada por Jesus. Suas páginas estão hoje negras, por causa da ação do tempo, mas as letras douradas ainda possibilitam sua leitura.
As autoridades turcas acreditam que se trata de uma versão autêntica do Evangelho de Barnabé, um discípulo de Jesus que ficou conhecido por suas viagens com o apóstolo Paulo descritas no Livro de Atos.
Autoridades religiosas de Teerã insistem que o texto prova que Jesus nunca foi crucificado, não era o Filho de Deus, mas um profeta, e chama Paulo de “Enganador.” O livro também diz que Jesus ascendeu vivo ao céu, sem ter sido crucificado, e que Judas Iscariotes teria sido crucificado em seu lugar. Falaria ainda sobre o anúncio feito por Jesus da vinda do profeta Maomé, que fundaria o Islamismo 700 anos depois de Cristo. O texto prevê ainda a vinda do último messias islâmico, que ainda não aconteceu.
“A descoberta do original texto de Barnabé vai revolucionar a religião no mundo”, diz o relatório Basij. Nenhum meio de comunicação publicou os versos. A foto divulgada da capa mostra apenas inscrições em aramaico e o desenho de uma cruz. A Internacional News Agency, diz que a inscrição na fotografia pode ser facilmente lida por um assírio. Os assírios viviam na região que compreende hoje o território do Iraque, o nordeste da Síria, o noroeste do Irã, e o sudeste da Turquia.
A tradução da inscrição inferior, que é o mais visível diz: “Em nome de nosso Senhor, este livro está escrito nas mãos dos monges do mosteiro de alta em Nínive, no ano 1.500 do nosso Senhor”.
Especialistas cristãos negam a existência de tal evangelho, que consideram um apócrifo (não inspirado por Deus). A autenticidade do livro precisaria ser provada por autoridades independentes. Porém, alguns especialistas já afirmaram que o Irã está promovendo a descoberta do livro 12 anos depois porque hoje o cristianismo tem se tornado uma ameaça em seu país.
O Vaticano teria demonstrado preocupação com a descoberta do livro, e pediu às autoridades turcas que permitissem aos especialistas da Igreja Católica avaliar o livro e seu conteúdo, em especial o “Evangelho de Barnabé”, que descreveria Jesus de maneira semelhante à pregada pelo islã.
O relatório da Basij Press, que divulgou o material para a imprensa, sugere que a descoberta é tão importante que poderá abalar a política mundial. “A descoberta da Bíblia de Barnabé original irá minar a Igreja Cristã e sua autoridade e vai revolucionar a religião no mundo. O fato mais significativo, porém, é que esta Bíblia previu a vinda do profeta Maomé, mostrando a verdade da religião do Islã”.
A Basij afirma que o capítulo 41 do Evangelho diz: ’Deus disfarçou-se de Arcanjo Miguel e mandou (Adão e Eva) embora do céu, (e) quando Adão se virou, ele notou que na parte superior da porta de entrada do céu, estava escrito La elah ELA Allah, Mohamadrasool Allah”, ”significado Alá é o único Deus e Maomé o seu profeta ”

Erick Stakelbeck, apresentadora de TV e estudioso de assuntos iranianos, disse ao site WND: “Ao promover a chamada Bíblia de Barnabé, que não é aceita por nenhuma denominação cristã dominante, o regime iraniano tenta mais uma vez desacreditar a fé cristã. O regime iraniano está empenhado em erradicar o cristianismo usando todos os meios necessários. Isso significa a execução de muçulmanos convertidos, queima de Bíblias ou invasão das igrejas subterrâneas”.
No ano passado, as autoridades iranianas confiscaram e queimaram cerca de 6.500 Bíblias por ordem do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei.
Desde sua descoberta, o livro vinha sendo mantido em segredo, guardado em um cofre-forte na cidade de Ancara. Agora, a Turquia planeja colocar o livro em exposição pública. A teoria mais comum entre os cristãos é que um exame do texto sugere que ele seria similar ao material apócrifo escrito no século XIV.
Com informações WND, Christian Post e Daily Mail
VEJA:

SODOMA E GOMORRA


Sodoma e Gomorra podem ter sido destruídas por uma chuva de cometas
Pesquisador lança livro que tenta oferecer explicações cientificas para o ocorrido
A Bíblia diz em Gênesis 19: 24 que Deus destruiu Sodoma e Gomorra com uma “chuva de fogo e enxofre”. Porém, recentemente a NASA tem procurado responder a questões como “Existe uma explicação plausível sobre o que a Bíblia diz sobre Sodoma e Gomorra? O enxofre e o fogo que caíram do céu e a esposa de Ló transformar-se em estátua de sal possuem uma base científica?”.
O doutor John S. Lewis, professor emérito de ciências planetárias da Universidade do Arizona e co-diretor do departamento de pesquisa do curso de Engenharia Espacial da Universidade do Arizona, afirmou acreditar que a destruição de Sodoma e Gomorra foi causado por cometas.
Vários outros astrônomos acreditam que a destruição das cidades está relacionada com a atividade de um cometa. John Lewis defende sua tese de “bombardeio cósmico” em seu livro: Rain of Fire and Ice: The Very Real Threat of Comet and Asteroid Bombardment [Chuva de Fogo e Gelo: A ameaça real do bombardeio de cometas e asteroides].
“A chuva de fogo do céu poderia ser a descrição dos danos causados pela desintegração de um cometa caído na atmosfera terrestre sobre essas cidades antigas. Grandes pedaços de material rochoso e gelo caindo do céu teriam a aparência de uma “chuva de fogo”. Além disso, o material dos cometas é rico em enxofre. Até mesmo uma queda de pequenos meteoritos pode causar um cheiro de enxofre tão forte que afogaria qualquer um”, explicou o cientista.
Poucos comentaristas bíblicos entendem qual o verdadeiro significado da descrição de fogo e enxofre caindo do céu. A atividade vulcânica não poderia ser usada para explicar o fogo e enxofre, pois não existem formações vulcânicas na região. Tentando explicar esta frase, alguns dizem que a destruição de Sodoma e Gomorra foi causada por um terremoto e o gás metano liberado, de alguma forma, pegou fogo, gerando explosões em depósitos de enxofre e alcatrão encontrados nos locais que as chamas chegaram até o céu.
No entanto, uma atividade sísmica deste tipo não tem precedentes e seria implausível em termos de geologia. Segundo a astronomia e a literatura antiga, a expressão “fogo caindo do céu” é simplesmente uma frase descritiva. “Fogo do céu” poderia ser uma descrição exata de um material cósmico (meteorito , asteroide ou cometa) queimando ao entrar na atmosfera da Terra.
Outras indicações de que um bombardeio de cometas podem ter causado a destruição de Sodoma e Gomorra estão em Gênesis 19:28. ”…viu, que a fumaça da terra subia, como a de uma fornalha.” Portanto, houve uma nuvem de fumaça que seria a consequência natural da explosão de um cometa batendo no solo. Um terremoto abriria apenas uma fissura no chão, não produziria uma nuvem alta, nem geraria os nódulos de enxofre presentes nas cinzas encontradas na área.
Até mesmo o impacto de um pequeno fragmento cósmico sobre Sodoma e Gomorra poderia liberar energia equivalente à explosão de várias bombas de hidrogênio e gerar uma nuvem em forma de cogumelo parecida com a das explosões nucleares. A Bíblia também usa a expressão “fumaça de uma fornalha” em Apocalipse 9:1-2, para descrever como uma estrela (corpo celestial – um cometa?) do céu cai sobre a terra e abre um grande buraco. Também diz que o céu escureceu e o sol foi obscurecido pela fumaça. Sem dúvida, esta parece à descrição do impacto explosivo de um cometa.
E quanto ao que aconteceu com a mulher de Ló, segundo narra Gênesis 19:26? A palavra hebraica traduzida como “sal” é “malach”, que pode significar “poeira”. Ou seja, ela foi ”pulverizada”, seja como sal ou poeira. Ao olhar para trás, ela se tornou uma coluna de sal/poeira.
Sabe-se que o impacto de um cometa produz grandes quantidades de poeira. Depois de um impacto sobre o solo, geram fortes ventos que contém grãos de poeira superaquecidos que poderiam facilmente encobrir um ser humano. Assim, qualquer um que estivesse dentro do raio de alcance seria sufocado e coberto pela poeira quente que deve endurecer depois que esfria.
Há vestígios de uma situação parecida quando foram achados corpos totalmente cobertos por cinzas e poeira durante a erupção vulcânica que atingiu a cidade italiana de Pompéia, lembra o doutor Lewis.
Traduzido e adaptado de Acontecer Cristiano
VEJA:

VEXAME EVANGÉLICO NO CONGRESSO NACIONAL

Jornalista afirma que bancada evangélica é a “mais ausente, inexpressiva e processada” do Congresso Nacional.


 Jornalista afirma que bancada evangélica é a “mais ausente, inexpressiva e processada” do Congresso Nacional. Leia na íntegra
Comentando dados divulgados  pelo portal Transparência Brasil sobre a bancada evangélica no Congresso Nacional, o jornalista Joel Bento Carvalho criticou a conduta dos parlamentares religiosos: “Bancada evangélica: a mais ausente, inexpressiva e processada”
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Segundo Carvalho, “fica difícil defender a chamada bancada dita Religiosa ou Evangélica”, com a divulgação dos dados, segundo os quais, os parlamentares da Frente Parlamentar Evangélica constam dos mais faltosos e processados do Congresso Nacional.
O jornalista afirma que muitos dos parlamentares parecem usar o cargo público apenas para promoção pessoal: “Pelo que se vê a locupletação é ampla, geral e irrestrita. Parecem ter percebido outro veio fácil de enriquecer além da religião. Aliás, não tem nada de evangélica . Evangelizar é o ato de levar o evangelho às ovelhas”.
Referindo-se às igrejas protestantes tradicionais como exemplo, o jornalista questiona o motivo de igrejas apoiarem candidatos: “Por que essas que são igrejas seculares não entram na política? Por que só alguns Padres, alguns militantes da Opus Dei e os pastores das igrejas não alinhadas entram para a política?”, questiona.
Joel Bento Carvalho afirma ainda que não se deve vincular fé com política: “Qualquer um pode se candidatar a cargos eletivos, mas sem usar a religião. Um religioso verdadeiro mantém distância da política: ‘Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus’. Se não for isso, é falcatrua usando a Religião ou será Deus um pulha também?”.
Confira abaixo a íntegra do artigo do jornalista Joel Bento de Carvalho, para o portal Luis Nassif:
Bancada religiosa: a mais ausente, inexpressiva e processada ou será Deus um pulha também?
Meu Pitaco: Fica difícil defender a chamada bancada dita Religiosa ou Evangélica.
Pelo que se vê a locupletação é ampla, geral e irrestrita. Parecem ter percebido outro veio fácil de enriquecer além da religião. Aliás, não tem nada de evangélica . Evangelizar é o ato de levar o evangelho às ovelhas perdidas, coisas que só as as igrejas seguidoras de Luthero fazem.
Por que essas que são igrejas seculares não entram na política? Por que só alguns Padres, alguns militantes da Opus Dei e os Pastores das igrejas não alinhadas entram para a política? Qualquer um pode se candidatar a cargos eletivos, mas sem usar a religião.
Um religioso verdadeiro, mantém distância da Política: Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Se não for isso, é falcatrua usando a Religião ou será Deus um pulha também?
JBC
Fonte: Gospel+
VEJA:




LEIA TAMBÉM:

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Ricardo Gondim

Ricardo Gondim decide dar um tempo das redes sociais

Líder revela mágoa e diz que foi abandonado por amigos
Gondim afirma que a maledicência abomina ao Senhor mais que os pecados sexuais

O pastor Ricardo Gondim escreveu em seu blog que irá se afastar por tempo indeterminado das redes sociais para poder se recuperar das constantes críticas que recebeu nos últimos meses quando algumas de suas declarações geraram grandes polêmicas.
Ele conta que nesse período perdeu pessoas que antes ele achava que eram seus amigos e que depois passaram a ignorá-lo por ele dizer ser favorável ao casamento homossexual e por ter outros pensamentos sobre temas importantes no cristianismo como a soberania de Deus.
“Não escondo a minha profunda dor. Fui cuspido, difamado e ridicularizado por quem acreditei ser parceiro”, escreveu o líder da Igreja Betesda que não vai se ausentar da sede da igreja onde continuará pregando aos domingos.
Outro assunto citado pelo pastor, que chegou a ser chamado de “herege” por outros ministros do evangelho, foi os problemas enfrentados na igreja de Fortaleza. “Pessoas baixas se revezaram em colocar o meu nome entre os grandes apóstatas da fé. A Betesda em Fortaleza praticamente implodiu. A princípio, sofri. Depois, preocupei-me com amigos, parceiros e discípulos. Eles sofriam as consequências de minhas posições”.
O que aconteceu na igreja da capital cearense foi o desligamento de um pastor que não aceitou ter que aconselhar casais homossexuais como se fossem heteros. E também discordou dos posicionamentos controversos apresentados pelo seu líder.
“Eu podia ser outra pessoa. Estou consciente de meus dons e talentos. Sei que poderia tornar-me famoso e disputado entre os maiorais do movimento evangélico. Mas, não sei explicar, preferi o caminho dos proscritos”, explica-se Gondim.
Entre os casos que o deixaram triste, o pastor também comenta sobre seu desligamento da revista Ultimato. “Quando a revista Ultimato me defenestrou como articulista, não contei com cinco amigos que ousassem dar a cara a bater por mim. Nessa hora vi o quanto fui usado. Eu não passava de grife, ornando panfletos de eventos”.
Leia o texto na íntegra:
Recesso – preciso de um tempoRicardo Gondim
Por mais de um motivo, ficarei sem escrever aqui e no tuiter.
Vou me exilar de todas as redes sociais por um tempo.
Mais cedo ou mais tarde chega o tempo em que algum ciclo se fecha.
Como preciso saber discernir a minha hora: chegou um momento decisivo em minha vida.

Não escondo a minha profunda dor.
Fui cuspido, difamado e ridicularizado por quem acreditei ser parceiro.
Meu coração sofreu além da conta.
Noto que me resta pouco tempo de vida -não sei quanto, mas estou consciente de que é pouco.

Em Fortaleza, tive que enfrentar um piquete na porta da igreja que eu considerava a menina dos meus olhos.
Depois, oportunistas se sucederam em me esfaquear. Pessoas baixas se revezaram em colocar o meu nome entre os grande apóstatas da fé. A Betesda em Fortaleza praticamente implodiu. A princípio, sofri. Depois, preocupei-me com amigos, parceiros e discípulos. Eles sofriam as consequências de minhas posições. Embora eu nunca, em tempo algum, tenha vendido a alma ao sucesso, não bastou. As pedradas não cessaram.

Eu podia ser outra pessoa. Estou consciente de meus dons e talentos. Sei que poderia tornar-me famoso e disputado entre os maiorais do movimento evangélico. Mas, não sei explicar, preferi o caminho dos proscritos. E a minha história virou piada; fui arrastado ao charco. Dei uma entrevista à revista Carta Capital (eu daria novamente, sem tirar uma vírgula) e os eventos desandaram. Antigos companheiros passaram a me evitar como um leproso. Reconhecer que homossexuais têm direito era um pecado incontornável. Contudo, prefiro o ódio de fundamentalistas e homofóbicos à falta de paz; quero poder deitar a cabeça no travesseiro com a consciência de que defendi o que é justo.
Eu supus ter amigos entre os envangélicos. Enganei-me. Quando a revista Ultimato me defenestrou como articulista, não contei com cinco amigos que ousassem dar a cara a bater por mim. Nessa hora vi o quanto fui usado. Eu não passava de grife, ornando panfletos de eventos. Saí de casa, deixei meus filhos, esqueci meus pais, dormi em hotéis de quinta categoria, para dar credibilidade a conferências chinfrins. Os amigos, que supunha de caminhada, se calaram. Estavam preocupados com eles mesmos na hora do meu linchamento. Os meus verdadeiros amigos se resumiam aos poucos parceiros que sobraram na Betesda e me deram a mão. Só um punhado se solidarizou quando me viu arrastado na sarjeta. Alguns, para minha profunda decepção, se aproveitaram de vírgulas doutrinárias para jogar ainda mais querosene no fogo brando que fundamentalistas acenderam.
Na verdade, estou exaurido. Agora virou questão de saúde. Como não posso respirar, minimamente, o ar dos evangélicos não serve como terapia. Deixei de acreditar na grande maioria dos líderes, pastores, teólogos e missionários evangélicos. Não confio nos que se dizem pregadores da Boa Notícia do Nazareno; e isso é ruim. Depois de presenciar excrescências éticas, depois de ver-me roubado em direitos autorais, depois de usado e sugado não quero mais a piedade plástica e mentirosa dos que se sentem responsáveis pela salvação do mundo. A subcultura religiosa que me acalentou e me fez um homem bem sucedido agora me traumatiza. E quando a gente perde o respeito, acabam-se os argumentos.
Sinto que chega a hora de começar outro ciclo. Não sei como, mas para que aconteça, meu primeiro passo deve ser o exílio das redes sociais. Quanto tempo fico fora deste site e do tuiter, não sei. Mas, igual aos adolescentes quando querem acabar o namoro, digo: preciso de um tempo.
Resta-me a igreja Betesda, minha comunidade de fé na Avenida Alberto de Zagottis, 1000. Ali é minha cidade de refúgio. Continuarei liderando o pequeno rebanho de homens e mulheres que, apesar de toda a propaganda danosa, ainda se reúne para me ouvir nos domingos. Com eles, e por causa deles, continuo.
Saio das redes sociais por recomendação médica; mas, também, por bom siso: preciso procurar alguma caverna, e lá, trocar de pele.
Soli Deo Gloria

FONTE:http://noticias.gospelprime.com.br/apos-criticas-ricardo-gondim-decide-dar-um-tempo-das-redes-sociais/
LEIA TAMBÉM:

CAIO FÁBIO AFIRMA QUE A BÍBLIA POSSUI ERROS




Caio Fábio afirma que a Bíblia é um livro do homem e não de Deus, pastor contesta

Wilson Porte refuta tal afirmação dizendo que ela fere os princípios básicos da fé cristã


 Caio Fábio afirma que a Bíblia é um livro do homem e não de Deus, pastor contesta
Mais uma declaração do reverendo Caio Fábio tem dividido opiniões. Em um vídeo ele aparece explicando que o Velho Testamento se cumpre em Cristo, mas também afirma que a Bíblia não é inerrante, ou seja, que o Livro Sagrado possui erros.
A questão principal que deu inicio a essas afirmações foi a seguinte: até que ponto você acha que a leitura do Velho Testamento atrapalha a compreensão do Novo? Para responder essa pergunta o pastor da igreja Caminho de Graça conta várias histórias e afirma que “o cristianismo nunca leu a Bíblia tendo Jesus como a chave hermenêutica”.
Mas essa não é a principal declaração do vídeo, mesmo afirmando que Cristo é a Palavra de Deus, Caio Fábio diz que há erros na Bíblia: “A Bíblia não é inerrante. Nem na literatura, ela tem erros literários; ela não é inerrante na cronologia, ela tem erros cronológicos; ela não é inerrante nas genealogias, ela dá saltos generacionais e só fica em cima das figuras mais importantes para marcar história”.
Para Caio Fábio a Bíblia é o livro do homem e não de Deus, ele acredita que as Escrituras não têm como objetivo ser um livro de ciência para tentar mostrar como aconteceu a origem do mundo, mas é um livro possível para auxiliar na compreensão da humanidade.
O vídeo foi postado no Vimeo há mais de um ano, mas apenas agora ganhou algumas refutações de pastores blogueiros como Wilson Porte Júnior que comparou o pastor Caio Fabio com a serpente que usou a Palavra de Deus para enganar Eva. “Assim como no Éden, ainda hoje Satanás tenta perverter a Palavra de Deus por meio de argumentos aparentemente coerentes e belos”, disse o pastor batista que também é professor de teologia.
Porte acredita que a afirmação de Caio Fabio ataca as bases da fé cristã, pois para ele é impossível separar Jesus de toda a Bíblia. “Como pode alguém afirmar que Jesus é a Palavra e depois afirmar que a Palavra contêm muitos erros? Como pode alguém afirmar que Jesus é o Verbo, a Palavra de Deus, e depois afirmar que a Palavra não é de Deus, mas de homens? A resposta a estas perguntas é: quando tal pessoa possui uma língua de serpente, pode!”

FONTE:http://noticias.gospelprime.com.br
LEIA: