sexta-feira, 21 de agosto de 2015

China prende 15 mil internautas

 

Lei prevê penas de três anos de prisão para quem espalha “rumores” através da Internet. O país endurece a censura temendo protestos
Lei prevê penas de três anos de prisão para quem espalha “rumores” através da Internet. O país endurece a censura temendo protestos

Em meio a um rigoroso processo de censura sobre as informações divulgadas pela internet a respeito das explosões de Tianjin —cidade de quase 10 milhões de pessoas do nordeste da China, a 130 quilômetros de Pequim—, o Ministério de Segurança Pública da China anunciou a prisão de 15 mil pessoas pelo crime de “colocar em perigo a segurança cibernética”. Desde 2013, a legislação chinesa estabelece que aqueles que espalharem “rumores” através das redes sociais ou blogs podem ser condenados a três anos de prisão.
Em seu site, o Ministério — um dos mais poderosos do regime chinês — afirma que investigou 7.400 casos de crimes cibernéticos, mas não especifica em que período realizou essas investigações, informou a agência Reuters. No mês passado, foi lançada uma campanha chamada “Limpando a Internet”, que durante seis meses vai intensificar a vigilância no ciberespaço para se concentrar naquelas páginas que fornecem “informação ilegal e lesiva” ou que promovem a pornografia, a utilização de explosivos e armas de fogo ou apostas ilegais.
No último fim de semana, a Administração do Ciberespaço revelou que tinha bloqueado pelo menos 360 contas em redes sociais e 50 páginas que criavam “pânico” sobre o que aconteceu no porto de Tianjin, onde as explosões de 12 de agosto deixaram pelo menos 114 mortos e mais de 700 feridos. Cerca de cinquenta pessoas, a maioria bombeiros, ainda estão desaparecidas.
Desde que Xi Jinping chegou ao poder, as autoridades chinesas fizeram do controle da Internet e das redes sociais uma de suas prioridades. Conhecidos blogueiros críticos ao regime foram presos e forçados a confessar publicamente seus erros, como o chinês-americano Charles Xue, acusado de manter relações ilícitas com prostitutas.
Desde 1º de março, segundo o anunciado pela Administração do Ciberespaço, estão proibidas as contas em redes sociais ou blogs que se apropriem das identidades de indivíduos ou organizações. Desde então também estava prevista um acompanhamento mais rigoroso do requisito que obriga que os usuários usem seu verdadeiro nome quando se registrarem nas redes sociais.
Em 1º de julho passado a Assembleia Nacional Popular, o legislativo chinês, aprovou uma nova lei de Segurança Nacional que dá poderes ao Estado para tomar “todas as medidas necessárias” para proteger a soberania de seu ciberespaço. A lei, que recebeu muitas críticas de organizações de direitos humanos, busca entre outras coisas evitar a disseminação de “informações ilegais ou prejudiciais”. Com 688 milhões de usuários, a China é o país com o maior número de usuários da Internet.
Fonte: El País

inflação chega a 213,2% em um ano na Venezuela


Filas enormes em supermercado, como também saques a estabelecimentos, são cada vez mais comum no país. Os dados foram revelados pela consultoria privada Ecoanalítica. O Banco Central do país não divulga o índice oficial há mais de seis meses
 
 
A consultoria privada venezuelana Ecoanalítica, uma das maiores do país, estima que a inflação no país atingiu 213,2% nos últimos 12 meses, segundo dados divulgados nesta terça-feira (18) pelo jornal ‘El Nacional’, um dos poucos diários que ainda faz oposição ao governo de Nicolás Maduro. O número é apenas uma projeção, já que o Banco Central da Venezuela não divulga informações oficiais sobre a alta dos preços há mais de seis meses. A Ecoanalítica também informa que em junho a inflação ficou em 16,1%, chegando a 115,9% no primeiro semestre de 2015.
Ao diário, o economista Asdrubal Oliveros explicou que a consultoria usou alguns parâmetros não considerados pelos órgãos oficiais para chegar a cifras mais próximas da realidade vivida pelo povo venezuelano, como os preços encontrados nas redes de contrabando e o câmbio paralelo.
 
Popularidade em queda
Em sentido oposto da inflação está a popularidade do presidente Nicolás Maduro, que caiu para 24,3% em julho, índice ainda pior que o registrado em maio, de 25,8%. Já a avaliação negativa do governo subiu de 68,8% em maio para 70,4% em julho. O resultado foi impactado pela aguda crise econômica, sentida pela população através da inflação e da escassez de produtos básicos, de peças de reposição a itens de higiene. Os dados são do instituto de pesquisas Datanalisis.
Maduro, que venceu com margem estreita a eleição para suceder ao falecido presidente Hugo Chávez em 2013, evitou as reformas estruturais que os economistas afirmam seres cruciais para impedir que a situação piore. O Datanalisis conversou com 1.000 pessoas entre 10 e 23 de julho e afirmou que o levantamento tem índice de 95% de precisão.
Fonte: Veja

  • Terra poderá viver ‘mini Era Glacial’
  • Para FBI, Estado Islâmico já é uma ameaça ...
  • Polêmica estátua de Satã é inaugurada nos EUA
  • Dez medidas contra a corrupção
  • Pesquisa: maioria dos brasileiros não lê nem um livro..
  • Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto...
  • Índia caminha para ser país mais populoso do mundo...
  • Seu olfato pode indicar quando ocê vai morrer
  • Vivendo sem o veneno do século XXI
  • Aumenta casos de HIV no Brasil
  • Canadá busca brasileiros para trabalho temporário
  • Inadimplência cresce 4,6% no 1º semestre
  • Chanel vale mais do que dinheiro na Grécia,
  • Plutão é maior do que se pensava, revela sonda ...
  • Dinheiro da Petrobras pagou prostitutas de luxo
  • Cientistas encontram indícios de vida extraterrestre...
  • Cristão lê mais

     Imagem: Divulgação

     
    No meio cristão, além da Bíblia, revistas, mangás e outros livros têm ganhado cada vez mais espaço no mercado brasileiro. Segundo o empresário Sinval Filho, que trabalha no setor editorial, o cristão lê em média três vezes mais que o brasileiro comum.
    “A pessoa, quando se converte, quando está no meio de uma comunidade cristã, está lendo, consumindo literatura, mais do que a média nacional. Porém, mesmo assim eu diria que é pouco perto do que poderia ser”. De acordo com o empresário, mesmo em lugares mais distantes “onde tem uma igreja, tem leitura da Bíblia sendo aplicada e outros livros que são agregados para edificar a vida das pessoas”.
    No meio secular, a cultura pop ou “geek” cresceu de forma exponencial no mundo inteiro. Esse crescimento deu-se por um movimento estabelecido pelo consumo de séries de TV, filmes, revista em quadrinhos, entre outros produtos culturais. Porém a cultura “geek” cristã tem crescido aos poucos, como é o caso do livro “O Peregrino”, que, depois da Bíblia, é o mais conhecido no meio cristão, recebeu uma versão em mangá (história em quadrinhos de origem japonesa). Todo ilustrado, o livro é uma representação do original, escrito pelo pastor John Bunyan e publicado em 1678, na Inglaterra. A história é uma alegoria da vida cristã e leva o leitor a refletir sobre a importância de ser vigilante na vida terrena.
     

    Operadoras de celular no Brasil preparam petição contra WhatsApp

     

    Uma das empresas considera ação judicial por serviço de ligações do app. Para empresas, WhatsApp não tem login específico e usa nº de telefone
    Uma das empresas considera ação judicial por serviço de ligações do app. Para empresas, WhatsApp não tem login específico e usa nº de telefone

    Operadoras de telecomunicações no Brasil pretendem entregar a autoridades locais em dois meses um documento com embasamentos econômicos e jurídicos contra o funcionamento do aplicativo WhatsApp, controlado pelo Facebook, disseram à Reuters três fontes da indústria.
    Uma das empresas do setor estuda também entrar com uma ação judicial contra o serviço, afirmou uma das fontes. O questionamento a ser entregue à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) será feito contra o serviço de voz do WhatsApp, e não sobre o sistema de troca de mensagens do aplicativo, disse a mesma fonte.
    A ideia é questionar o fato de a oferta do serviço se dar por meio do número de telefone móvel do usuário, e não através de um login específico como é o caso de outros softwares de conversas por voz, como o Skype, da Microsoft.
    “Nosso ponto em relação ao WhatsApp é especificamente sobre o serviço de voz, que basicamente faz a chamada a partir do número de celular”, disse a fonte, que assim como as outras duas falou sob condição de anonimato. “O Skype tem identidade própria, um login, isso não é irregular. Já o WhatsApp faz chamadas a partir de dois números móveis”, acrescentou.
    O argumento das operadoras é que o número de celular é outorgado pela Anatel e as empresas de telefonia pagam tributos para cada linha autorizada, como as taxas do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel), o que não é feito pelo WhatsApp. De acordo com a consultoria especializada Teleco, as operadoras pagam R$ 26 para a ativação de cada linha móvel e R$ 13 anuais de taxa de funcionamento.
    Além da questão econômico-financeira, as operadoras estão sujeitas às obrigações de fiscalização e qualidade com a Anatel e sujeitas a multas, enquanto isso não acontece com o WhatsApp.
    Procurada, a assessoria de imprensa do WhatsApp nos Estados Unidos não respondeu a pedidos de comentários. A assessoria de imprensa do Facebook no Brasil afirmou que a empresa não responde pelo WhatsApp no país.
    Embora o WhatsApp já permitisse envio de gravações de áudio por meio de mensagens, a empresa passou a oferecer recentemente serviço de ligações de voz pela Internet no Brasil.
    Em entrevista ao jornal “Estado de S.Paulo” no começo desta semana, o presidente da Telefônica Brasil, Amos Genish, afirmou que o WhatsApp “é uma operadora pirata” e que a empresa planejava fazer uma petição ao Conselho da Anatel questionando o aplicativo, sem dar muitos detalhes.
    Segundo duas das fontes, todas as operadoras estão envolvidas na elaboração da reclamação a ser entregue à Anatel, apesar de algumas delas, como TIM Participações e Claro, terem firmado parcerias comerciais com o WhatsApp para oferecer acesso grátis ao aplicativo, sem desconto na franquia de dados dos usuários. Contudo, essa oferta não se estende ao serviço de voz do WhatsApp, que é descontado da franquia do cliente.
    Uma dessas fontes disse que o setor está unido contra o “desequilíbrio” existente em relação a serviços similares aos de telecomunicações e que não têm arcabouço regulatório. Segundo essa fonte, o assunto já foi levado ao Ministério das Comunicações, mas a forma de tratar o tema “ainda não está fechada”.
    Procuradas, Telefônica Brasil (que opera sob a marca Vivo), Claro, Oi e TIM não se manifestaram sobre o assunto. A associação de operadoras, o Sinditelebrasil, disse que não falaria sobre o tema. Representantes da Anatel não se manifestaram até a publicação desta reportagem.
    Uma fonte da Anatel, que não quis se identificar, disse que não há nenhum pleito na agência referente ao WhatsApp, e que caso haja algum requerimento por parte das operadoras, o órgão regulador analisará se o aplicativo poderá ser categorizado como um serviço telecomunicações.
    “A questão dos aplicativos se insere em debates maiores, internacionais, entre as empresas de telefonia e os provedores de conteúdo. Mas tem de ficar claro que se trata de serviço de valor adicionado. A Anatel não regula aplicativos”, disse a fonte da Anatel. “Não sei se a Anatel tem competência para analisar o serviço, que não é de voz tradicional”, acrescentou.
    Defesa do consumidor
    Órgãos de defesa do consumidor, no entanto, questionam o argumento das operadoras. De acordo com a advogada Flávia Lefévre, da Proteste, mesmo utilizando o número de celular do usuário, o serviço de voz do WhatsApp é oferecido por meio da Internet, não se tratando de uma ligação tradicional.
    “Tanto no Skype como no WhatsApp a transmissão (da voz) se dá por meio de pacote de dados, que é diferente de uma ligação da telefonia”, disse Flávia.
    O advogado Guilherme Ieno, sócio da área de telecomunicações do escritório Koury Lopes Advogados, concorda com a representante da Proteste. Para ele, as operadoras não podem impor restrições quanto ao conteúdo dos pacotes trafegados.
     

    Nasa desmente destruição dos Estados Unidos por asteróides


    Segundo a Nasa, não há motivo para se preocupar: o grande asteroide que destruiria os EUA em setembro não passa de um boato.

    © Foto: Fornecido por BBC Segundo a Nasa, não há motivo para se preocupar: o grande asteroide que destruiria os EUA em setembro não passa de um boato.
    A Nasa desmentiu rumores de que um asteroide do tamanho de uma cidade acertaria a Terra entre os dias 15 e 28 de setembro.
    Segundo os boatos um "cometa de quatro quilômetros de largura" iria se chocar contra a Terra causando "danos catastróficos" e "eliminando os Estados Unidos da América".
    Blogs e posts na web até davam a localização exata do impacto: perto de Porto Rico no meio do mês de setembro.
    Mas, a agência espacial americana informou que "não há fundamento científico, nenhum fragmento de prova" para comprovar estes rumores.
    A Nasa tem o Programa de Observação de Objetos Próximos da Terra, que procura por asteroide que possam ameaçar a Terra. Os especialistas que trabalham neste programa afirmam que nada "vai acertar a Terra naquelas datas".
    "Se houvesse qualquer objeto grande o bastante para fazer este tipo de destruição em setembro, já teríamos visto alguma coisa", disse o caçador de asteroides Paul Chodas.
    Na verdade, no próximo século existe uma "chance de menos de 0,01%" de qualquer "asteroide perigoso" destruir a civilização.

     Em sua página no Twitter, a Nasa desmentiu o boato: 'Desfazendo os mitos: apesar dos boatos, não há um asteroide ameaçando a Terra'

    O Programa de Observação de Objetos Próximos da Terra, da Nasa, tem um outro nome, mais fácil de lembrar: "Guarda Espacial".
    Este programa usa telescópios localizados na Terra e no espaço para detectar e rastrear asteroides e cometas que cheguem a uma distância de cerca de 48 milhões de quilômetros do planeta.
    Até agora, as únicas coisas em rota de colisão com a Terra são "meteoritos inofensivos" e "asteroides minúsculos" que se incendeiam ao entrar na atmosfera antes que possam causar qualquer tipo de estrago.
    Mesmo assim, o trabalho da Guarda Espacial é muito importante, mas a Nasa afirma que a equipe sempre tem a atenção desviada por boatos como este.
    "Esta não é a primeira alegação louca, não fundamentada de que um objeto celestial está prestes a se chocar com a Terra e, infelizmente, provavelmente não será a última", afirmou Chodas. 
     

    Seis em cada dez brasileiros estão acima do peso

    Redução de peso pode ajudar a prevenir Alzheimer, diz estudo: Perda de peso pode reverter um excesso de atividade cerebral associado à obesidade, melhorando as funções cognitivas© Fornecido por Estadão

    Perda de peso pode reverter um excesso de atividade cerebral associado à obesidade, melhorando as funções cognitivas RIO - Seis de cada dez brasileiros estão acima do peso, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2013, realizada em parceria com o Ministério da Saúde, e divulgada nesta sexta-feira, 21, pelo IBGE. Entre os homens, o índice passou de 42,4% para 57,3% de 2002 a 2013. No caso das mulheres, aumentou de 42,1% para 59,8%.
    As informações foram obtidas a partir de uma comparação entre as Pesquisas de Orçamentos Familiares (POF) realizadas pelo IBGE nos períodos 2002/2003 e 2008/2009 com a PNS 2013. Os dados mostram ainda que a obesidade passou de 9,3% para 17,5% entre os homens, e de 14% para 25,2%, entre as mulheres.
    A pesquisa também mostra que seis em cada dez crianças brasileiras com menos de 2 anos já comeram biscoito, bolacha ou bolo, e 32% já beberam refrigerante ou suco industrializado. Esses alimentos só devem ser consumidos depois dessa idade e com moderação, segundo orientam nutricionistas e pediatras.
    Os pesquisadores percorreram 62.658 domicílios de todo o País em 2013, e aplicaram questionários sobre deficiências, saúde dos idosos, das mulheres e das crianças com até 2 anos.
    Outro dado levantado é sobre o aleitamento materno: apenas 49,4% dos bebês ainda eram amamentados pelas mães entre 9 e 12 meses, quando o recomendado pelo Ministério da Saúde é que a amamentação vá até os 2 anos, pelo menos. O leite materno, entre outros benefícios, protege as crianças de síndromes metabólicas.
    Ainda sobre crianças, o IBGE levantou que 24,1% dos bebês com 1 ano não haviam tomado as doses da vacina tetravalente, que evita difteria, tétano, coqueluche e meningite. Verificou também que os exames neonatais precisam ter cobertura maior: 29,2% dos recém-nascidos não fizeram o teste do pezinho na primeira semana de vida (o teste identifica precocemente doenças metabólicas, genéticas ou infecciosas), 44% não fizeram o da orelhinha no primeiro mês (para detecção de surdez congênita) e 48,9% não fizeram o do olhinho no primeiro mês (para constatação de alterações oculares).
    fonte: Estadão

  • Terra poderá viver ‘mini Era Glacial’
  • Para FBI, Estado Islâmico já é uma ameaça ...
  • Polêmica estátua de Satã é inaugurada nos EUA
  • Dez medidas contra a corrupção
  • Pesquisa: maioria dos brasileiros não lê nem um livro..
  • Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto...
  • Índia caminha para ser país mais populoso do mundo...
  • Seu olfato pode indicar quando ocê vai morrer
  • Vivendo sem o veneno do século XXI
  • Aumenta casos de HIV no Brasil
  • Canadá busca brasileiros para trabalho temporário
  • Inadimplência cresce 4,6% no 1º semestre
  • Chanel vale mais do que dinheiro na Grécia,
  • Plutão é maior do que se pensava, revela sonda ...
  • Dinheiro da Petrobras pagou prostitutas de luxo
  • Cientistas encontram indícios de vida extraterrestre...

  • quinta-feira, 20 de agosto de 2015

    Uber é acusada de contratar criminosos nos EUA

    Os promotores da Califórnia acusaram o serviço de transporte Uber de laxismo por não fazer uma checagem rígida dos antecedentes de seus motoristas, o que permite a presença de delinquentes em seu quadro de funcionários© Fornecido por AFP

    Os promotores da Califórnia acusaram o serviço de transporte Uber de laxismo por não fazer uma checagem rígida dos antecedentes de seus motoristas, o que permite a presença de delinquentes em seu quadro de…
    Os promotores da Califórnia acusaram o serviço de transporte Uber de laxismo por não fazer uma checagem rígida dos antecedentes de seus motoristas, o que permite a presença de delinquentes em seu quadro de funcionários, segundo documentos apresentados ante o tribunal.
    Promotores de San Francisco e Los Angeles afirmam ter encontrado 25 pessoas com antecedentes criminais graves conduzindo para o Uber, incluindo um assassino, um agressor sexual e um ladrão de identidades.
    O processo de checagem dos antecedentes continha erros sistemáticos, acusam.
    A presença de criminosos entre os motoristas da Uber veio à tona devido a infrações de trânsito.
    Segundo os promotores, a propaganda da companhia garante a segurança dos passageiros devido a uma checagem dos antecedentes dos motoristas.
    A Uber, que trata seus motoristas como funcionários terceirizados, respondeu não estar de acordo com as conclusões dos promotores.
    A start-up, que recentemente alcançou uma valorização de 50 bilhões de dólares, é criticada e boicotada e enfrenta ações legais em todo mundo por seu modelo de negócios de baixo custo.
    fonte:AFP

  • Terra poderá viver ‘mini Era Glacial’
  • Para FBI, Estado Islâmico já é uma ameaça ...
  • Polêmica estátua de Satã é inaugurada nos EUA
  • Dez medidas contra a corrupção
  • Pesquisa: maioria dos brasileiros não lê nem um livro..
  • Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto...
  • Índia caminha para ser país mais populoso do mundo...
  • Seu olfato pode indicar quando ocê vai morrer
  • Vivendo sem o veneno do século XXI
  • Aumenta casos de HIV no Brasil
  • Canadá busca brasileiros para trabalho temporário
  • Inadimplência cresce 4,6% no 1º semestre
  • Chanel vale mais do que dinheiro na Grécia,
  • Plutão é maior do que se pensava, revela sonda ...
  • Dinheiro da Petrobras pagou prostitutas de luxo
  • Cientistas encontram indícios de vida extraterrestre...

  • Japão eleva alerta de vulcão perto de usina nuclear

    © Fornecido por Deutsche Welle

    A Agência Meteorológica do Japão alertou neste sábado (15/08) as pessoas que vivem próximas ao vulcão Sakurajima para se prepararem para uma possível operação de retirada da área. O vulcão, que fica a apenas 50 quilômetros da usina nuclear de Sendai, mostra sinais de aumento de atividade.
    Localizado no sul da ilha de Kyushu, ele é um dos maiores e mais ativos vulcões do Japão. O órgão estatal elevou de 3 para 4 – numa escala de 5 – o nível de alerta para a região, devido ao aumento da atividade sísmica na zona desde a madrugada de sexta para sábado. O vulcão se localiza próximo da costa de Kagoshima, uma cidade com mais de 600 mil habitantes.
    "A possibilidade de uma erupção em larga escala se tornou extremamente alta para o Sakurajima", alertou a agência. As autoridades afirmaram, ainda, que os moradores que vivem nas proximidades devem ter uma "rigorosa precaução" e estarem preparados para serem retirados da área.
    O Sakurajima se localiza numa região próxima da usina nuclear de Sendai, que foi reativada nesta terça-feira e se tornou o primeiro reator a funcionar sob as novas normas de segurança introduzidas na sequência do desastre de Fukushima, em 2011.
    A tragédia forçou o fechamento de todas as centrais nucleares do país em setembro de 2013. Os críticos, no entanto, haviam avisado que Sendai tinha o risco de sofrer desastres naturais.
     
     
     

    Colisão entre duas aeronaves provoca sete mortos

     <p>Duas aeronaves colidiram esta manhã na Eslováquia. Sete pessoas morreram.</p>© Fornecido por Notícias ao…

    Duas aeronaves, descritas como pequenas aeronaves desportivas, colidiram na manhã desta quinta-feira (20), perto da fronteira que separa a Eslováquia e a República Checa.
    O acidente ocorreu a 1.500 metros de altitude. Sete pessoas morreram, segundo o The Independent.
    Os dois aparelhos transportavam cerca de 40 pessoas que iriam participar de uma atividade de paraquedismo.
    Muitos dos passageiros escaparam à morte por terem conseguido saltar das aeronaves antes da colisão.
    Três helicópteros estão tentavam chegar ao local do acidente, que se encontra em uma área montanhosa bastante remota.
    fonte: Notícias ao minuto

  • Terra poderá viver ‘mini Era Glacial’
  • Para FBI, Estado Islâmico já é uma ameça ...
  • Polêmica estátua de Satã é inaugurada nos EUA
  • Dez medidas contra a corrupção
  • Pesquisa: maioria dos brasileiros não lê nem um livro..
  • Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto...
  • Índia caminha para ser país mais populoso do mundo...
  • Seu olfato pode indicar quando ocê vai morrer
  • Vivendo sem o veneno do século XXI
  • Aumenta casos de HIV no Brasil
  • Canadá busca brasileiros para trabalho temporário
  • Inadimplência cresce 4,6% no 1º semestre
  • Chanel vale mais do que dinheiro na Grécia,
  • Plutão é maior do que se pensava, revela sonda ...
  • Dinheiro da Petrobras pagou prostitutas de luxo
  • Cientistas encontram indícios de vida extraterrestre...

  • Trem nazista repleto de ouro é ‘encontrado na Polônia’

     
    O trem estaria carregando ouro e pedras preciosas.
    © Foto: Fornecido por BBC O trem estaria carregando ouro e pedras preciosas.
     
    Um trem nazista que estaria carregado com ouro, pedras preciosas e armas teria sido encontrado na Polônia. Segundo a mídia local, dois homens alegaram ter achado a "relíquia" que teria desaparecido ainda durante a Segunda Guerra Mundial.
    O trem teria sumido em um local próximo ao que hoje é a cidade de Breslávia quando forças da União Soviética se aproximaram em 1945.
    Os homens que encontraram o trem entraram em contato com um escritório de advocacia polonês para comunicar o achado. Os dois pedem "apenas" uma recompensa equivalente a 10% do valor do carregamento.
    Sites locais afirmam que a descrição do trem que teria sido encontrado corresponde à do comboio mencionado em relatos folclóricos da região que dizem que o trem era usado para transportar ouro e pedras preciosas e teria desaparecido no fim da guerra, próximo ao castelo Ksiaz.
    O escritório de advocacia contatado pelos homens fica em Walbrzych, a 3 km desse castelo.
    "Advogados, o exército, a polícia, e a brigada de incêndio estão cuidando disso", disse à Reuters Marika Tokarska, representante do conselho distrital de Walbrzych.
    "Aquela área nunca foi escavada antes e não sabemos o que podemos encontrar."
    Dois websites de Walbrzych dizem que o trem tinha instalado guaritas de onde soldados armados podiam defender o comboio. Segundo o walbrzych24.com, um dos homens que alegam ter encontrado o trem era polonês e o outro era alemão.
    Ainda de acordo com o site, eles teriam comunicado as autoridades locais que formaram um comitê emergencial liderado pelo prefeito para investigar as alegações.
    Outro site, o Wiadomosci Walbrzyskie, disse que a composição teria 150 metros de comprimento e carregaria 300 toneladas de ouro.
    Joanna Lamparska, uma estudiosa da história de Walbrzych, disse à Rádio Wroclaw que havia rumores de que o trem teria desaparecido em um túnel e que transportava ouro e material perigoso à bordo.
    A rádio acrescenta que pesquisas anteriores feitas na mesma área para encontrar o trem não foram bem-sucedidas.
     
     

    terça-feira, 18 de agosto de 2015

    Donald Trump promete deportar todos os ‘ilegais’ se chegar à Casa Branca

     

    "Eles têm de ir embora", afirma o candidato republicano em uma entrevista
    “Eles têm de ir embora”, afirma o candidato republicano em uma entrevista

    O candidato republicano Donald Trump esclareceu mais uma vez que não retirará os comentários que fez sobre os imigrantes sem documentos que moram nos Estados Unidos. E está disposto a ir mais longe. O magnata apresentou um plano de imigração no qual promete deportar 11 milhões de ilegais se chegar à Casa Branca. Ao anunciar sua candidatura, Trump afirmou que o México envia ao norte “estupradores” e “criminosos”. Dois meses depois, em uma entrevista dada à rede NBC neste último domingo (16), de seu avião particular, Trump confirmou que está disposto a liderar uma campanha ligada à ala mais conservadora do Partido Republicano.
    Essa posição é especialmente perigosa para todos os seus rivais, e até para ele próprio, caso consiga ser candidato à presidência. Nas eleições de 2008 e 2012, o eleitorado hispânico enviou uma mensagem clara aos republicanos: seu discurso sobre a imigração e seu rechaço à reforma do sistema migratório colocavam em perigo seu voto no futuro. A direção tomada por Trump os afasta ainda mais.
    “Manteremos juntas as famílias”, disse o candidato sobre os imigrantes sem documentos, “mas eles têm de ir embora”. O magnata reiterou que a solução para a imigração ilegal é a construção de um muro na fronteira entre EUA e México, a ser pago pelo governo do presidente Enrique Peña Nieto. “Não podemos deixar que continuem se aproveitando de nós”.
    O plano do candidato, publicado no domingo em seu site na Internet, propõe além disso a anulação das ordens executivas do presidenteBarack Obama nas quais cancelou a deportação dos ilegais sem antecedentes criminosos. Trump também eliminaria as permissões concedidas aos dreamers –sonhadores, como são chamados os imigrantes que entraram nos EUA muito jovens – e modificaria a Constituição para retirar o direito à cidadania dos nascidos nos EUA de pais que residem ilegalmente no país.
    “Isto é o que estão fazendo, ter filhos. De repente, sem que ninguém saiba, chega um bebê”, disse Trump. Quando o jornalista Chuck Todd pressionou-o para que explicasse como ia realizar as deportações, o candidato recorreu a uma de suas práticas habituais, responder com outra pergunta: “Você realmente acha que é muito difícil para eles morar aqui?” Mas seu plano faz uma concessão: “as boas pessoas poderão voltar”.
    O magnata nova-iorquino demonstrou também durante a entrevista sua fixação pelo México, país que já insultou ao anunciar sua candidatura. O protesto formal do governo Mexicano e a rejeição pública de numerosas empresas e personalidades dos dois lados da fronteira – desde Carlos Slim até companhias como Televisa, Univision e NBC – não impediram que Trump avançasse na mesma direção.
    “Os líderes mexicanos têm se aproveitado dos Estados Unidos ao utilizar a imigração ilegal para exportar o crime e a pobreza de seu próprio país”, declarou. Seu plano acrescenta a determinação de aumentar as taxas para obter vistos de diplomatas e executivos empresariais mexicanos “e cancelá-los se for necessário”, assim como encarecer as licenças diárias para atravessar a fronteira legalmente. O candidato assegura que manterá essas tarifas até que o México aporte o custo de construir o muro.
    Trump criticou além disso os dois candidatos que até agora se mantinham como favoritos entre os votantes republicanos. O empresário qualificou de “marionete” Jeb Bush, candidato com um perfil mais moderado, graças a sua postura em favor da regularização dos imigrantes ilegais. Para Marco Rubio, reservou um ataque por seu apoio ao projeto bipartidarista de reformar a lei de imigração aprovada pelo Senado em 2013. “A lei não era mais do que uma concessão aos patrões corporativos que mandam nos dois partidos”, diz o documento publicado neste fim de semana.
    Bush e Rubio são os dois únicos candidatos que demonstraram sua intenção de reconciliar a gravidade da imigração ilegal com a necessidade de solucionar a situação em que vivem mais de 11 milhões de pessoas sem documentos. Essa postura os aproxima do eleitorado hispânico como não ocorre com nenhum outro candidato. Mas agora, em tempo de primárias, quando a disputa é vencida entre os eleitores mais conservadores, os dois políticos da Flórida são os mais vulneráveis. O plano de Trump é um ataque direto a eles, que nos próximos dias deverão se pronunciar.

    Crise hídrica em São Paulo já gerou mais de 50 ações e inquéritos no MP

    Represa do Sistema Cantareira em agosto de 2015 (Foto: Luis Moura/Estadão Conteúdo)Represa do Sistema Cantareira com nível baixo em agosto de 2015 (Foto: Luis Moura/Estadão Conteúdo)

    A crise hídrica no estado de São Paulo já gerou mais de 50 inquéritos civis no Ministério Público (MP) e ações civis públicas protocoladas pelos promotores na Justiça por causa da falta d'água e problemas enfrentados pela população em decorrência da seca. Alguns casos também são acompanhados pelo Ministério Público Federal (MPF). Até o momento, a maior parte dos processos está em andamento ou resultou em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).
    Desde fevereiro de 2014, o MP instaurou ao menos 48 inquéritos sobre o assunto, a maioria por falta de transparência nas informações sobre a crise. A Promotoria também apura denúncias e reclamações sobre cortes no abastecimento, desperdício, má qualidade da água, falhas no serviço prestado ao consumidor, improbidade e impacto ambiental de obras.
    As investigações dos promotores resultaram em nove ações civis públicas na Justiça desde o começo do ano passado, a maior parte delas com enfoque na falta d'água em diferentes cidades do estado, além de ausência de transparência na divulgação sobre a situação da seca e desrespeito ao direito do consumidor.
    Uma das ações do MP aceita pela Justiça, por exemplo, obrigou a Sabesp divulgar um novo índice dos reservatórios do Cantareira, considerando o cálculo das duas cotas da reserva técnica do manancial exploradas desde o ano passado e o volume "negativo" com que o sistema opera.
    A Promotoria também quer interromper a obra de interligação dos sistemas Rio Grande e Alto Tietê, considerada a principal ação contra a crise hídrica na Grande São Paulo. O MP contestou na Justiça as licenças ambientais obtidas pela Sabesp e disse que os documentos apresentados pela companhia são insuficientes para comprovar que não há risco ambiental.
    Neste caso, o juiz da 3ª Vara Pública Luiz Manuel Pires não aceitou o primeiro pedido do MP para suspensão da obra em caráter liminar, mas pediu explicações à Sabesp. Depois do posicionamento da companhia, e caso a Promotoria mantenha a necessidade de suspensão dos trabalhos, a Justiça voltará a analisar o pedido.
    Desde março, o Ministério Público publica na sua página na internet um relatório sobre os inquéritos civis em andamento e as ações civis públicas ajuizadas divididas nos seguintes temas: falta d'água, serviços prestados ao consumidor, transparência de informação, patrimônio público e qualidade da água. No site do MP, também é possível consultar as recomendações enviadas aos órgãos gestores competentes pelo abastecimento.
    Sabesp executa obra de interligação dos sistemas Rio Grande e Alto Tietê, na Grande São Paulo (Foto: Reprodução GloboNews)Sabesp executa obra de interligação dos sistemas Rio Grande e Alto Tietê (Foto: Reprodução GloboNews)
    Audiência pública
    Para ouvir relatos sobre os problemas enfrentados pela população durante a crise e reunir provas, o Ministério Público Federal (MPF), além do Ministério Público, o Ministério Público de Contas, o Ministério Público do Trabalho e a Defensoria Pública, todos a nível estadual, farão uma audiência pública na quinta (20) e sexta-feira (21), na sede do MP-SP.
    Segundo a procuradora regional da República da 3ª Região Sandra Akemi Shimada Kishi, que também coordenada o Projeto Qualidade da Água do MPF, a falta de transparência sobre a crise potencializa o aumento da insegurança e impede o controle social.
    Os órgãos querem saber como a sociedade tem enfrentado seguintes problemas como a falta de água, esgoto e saneamento básico, a adoção das sobretaxas, a ausência de transparência e informações sobre a crise, aplicação de rodízio "informal", racionamento implícito e redução da pressão nas regiões mais carentes do estado, e dificuldade de acesso ao monitoramento da qualidade de água.
    A audiência pública terá a participação de importantes especialistas em recursos hídricos no Brasil e no exterior, como o professor da Universidade de Massachusetts Richard Palmer, o geógrafo da Unicamp Antônio Carlos Zuffo, o pesquisador da USP e especialista em reuso Ivanildo Hespanhol, a médica do Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo Telma Nery, e o presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental Carlos Bocuhy.
    A participação é aberta a todos. Para os interessados em dar o seu depoimento, a inscrição pode ser feita, previamente, até às 18h do dia 18 de agosto pelo e-mail crisehidrica-npp@mpsp.mp.br, informando nome completo, RG e, no caso de integrantes dos movimentos sociais, a entidade ou órgão representativo. Não é necessário realizar inscrição para comparecer à audiência.
    fonte:G1

  • Terra poderá viver ‘mini Era Glacial’
  • Para FBI, Estado Islâmico já é uma ameça ...
  • Polêmica estátua de Satã é inaugurada nos EUA
  • Dez medidas contra a corrupção
  • Pesquisa: maioria dos brasileiros não lê nem um livro..
  • Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto...
  • Índia caminha para ser país mais populoso do mundo...
  • Seu olfato pode indicar quando ocê vai morrer
  • Vivendo sem o veneno do século XXI
  • Aumenta casos de HIV no Brasil
  • Canadá busca brasileiros para trabalho temporário
  • Inadimplência cresce 4,6% no 1º semestre
  • Chanel vale mais do que dinheiro na Grécia,
  • Plutão é maior do que se pensava, revela sonda ...
  • Dinheiro da Petrobras pagou prostitutas de luxo
  • Cientistas encontram indícios de vida extraterrestre...
  • Governo deve R$ 348 mil por serviços prestados durante viagem de Dilma aos EUA

    Carro que teria sido utilizado para transportar comitiva de Dilma nos EUA, em junho (Foto: Reprodução Facebook/Eduardo Marciano)


    Eduardo Marciano é dono da NS Highfly Limousine, uma empresa de aluguel de limusines que atua em São Francisco (EUA) e tem chamado atenção por reivindicar uma dívida de US$ 100 mil (R$ 348 mil) do governo brasileiro. Marciano acusa o governo de ter dado um calote em sua empresa durante a viagem de Dilma Rousseff aos Estados Unidos no final de junho. Na ocasião, quase trinta pessoas da NS Highfly Limousine - entre motoristas, telefonistas e secretária - realizaram o serviço de transporte da comitiva brasileira. O Itamaraty reconhece a dívida e informa que o pagamento deve cair na conta de Marciano nas próximas horas. O atraso teria ocorrido devido a cortes orçamentários.
    Carro que teria sido utilizado para serviços prestado à comitiva de Dilma nos Estados Unidos (Foto: Reprodução Facebook/Eduardo Marciano)
     
    Segundo Marciano, 25 veículos, 2 ônibus, 1 caminhão baú e 1 Sprinter van foram utilizados para transportar os "ministros e outras autoridades da presidência,a filha da presidente, chefes da secretaria, polícias federais, polícias do exército Brasileiro e da Marinha do Brasil, seguranças da escolta da presidente, embaixador, conselheiros e secretários do Imaraty. O serviço foi realizado, mas Marciano ainda não recebeu o pagamento.

    A história do caso - e de sua saga para  receber o pagamento - foi publicada no Facebook de Marciano na última quinta-feira (13/08). Até esta tarde, a postagem já contava com mais de 14 mil compartilhamentos. "O problema todo é que foi feito o serviço, mas o Consulado do Brasil não tem dinheiro para pagar. O serviço chega a quase US$ 100 mil. Já se passaram quase 2 meses e não me pagaram nada, nenhum centavo", escreveu. Ele afirma que já foi ao Consulado do Brasil em São Francisco onde foi informado que não havia dinheiro para pagar o serviço "pois nossa presidente está viajando e gastando mais do que tem nos cofres do governo".

    Procurado pela reportagem, o Ministério das Relações Exteriores informou que foram liberados os recursos para quitar a dívida na última sexta-feira, mas que ainda existem trâmites burocráticos que precisam ser resolvidos para que a empresa de Marciano receba o dinheiro. A previsão do Itamaraty é que o pagamento seja efetuado nas próximas horas.
    O ministério também afirmou que há uma imprecisão no relato do empresário. "Não foi utilizada nenhuma limousine para o transporte da comitiva. Apenas vans, carros pretos oficiais, caminhão e ônibus".
    A área internacional da Secretaria de Imprensa da Presidência da República confirmou que o pagamento não havia sido realizado antes por conta das dificuldades financeiras enfrentadas pelo Itamaraty devido aos cortes orçamentários e afirmou que a pasta está quitando dívidas com fornecedores não apenas desta viagem específica como também de outras realizadas pelo governo.

    fonte:Épocanegocios

  • Terra poderá viver ‘mini Era Glacial’
  • Para FBI, Estado Islâmico já é uma ameça ...
  • Polêmica estátua de Satã é inaugurada nos EUA
  • Dez medidas contra a corrupção
  • Pesquisa: maioria dos brasileiros não lê nem um livro..
  • Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto...
  • Índia caminha para ser país mais populoso do mundo...
  • Seu olfato pode indicar quando ocê vai morrer
  • Vivendo sem o veneno do século XXI
  • Aumenta casos de HIV no Brasil
  • Canadá busca brasileiros para trabalho temporário
  • Inadimplência cresce 4,6% no 1º semestre
  • Chanel vale mais do que dinheiro na Grécia,
  • Plutão é maior do que se pensava, revela sonda ...
  • Dinheiro da Petrobras pagou prostitutas de luxo
  • Cientistas encontram indícios de vida extraterrestre...
  • Inscrições de 2 mil anos encontradas em Israel intrigam arqueólogos

     

    A escavação onde as inscrições foram encontradas data de mais de 2 mil anos atrás
    A escavação onde as inscrições foram encontradas data de mais de 2 mil anos atrás

    Arqueólogos israelenses estão tentando decodificar inscrições antigas descobertas em uma escavação em Jerusalém. Elas foram encontradas nas paredes de uma câmara antiga com resquícios de uma banheira escavada na pedra, usada para o mikvá, um tradicional ritual de banho judaico. Os arqueólogos estimam que as inscrições seriam de 2 mil anos atrás.
    Especialistas estão tentando decifrar as palavras, que parecem ser em aramaico, e os símbolos encontrados, entre eles, um barco e árvores de palmeira.
    Eles dizem que as inscrições podem ser grafites (pinturas na parede) ou então podem ter algum significado religioso.
    Segundo, a Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA, na sigla em inglês), um dos símbolos pode ser um menorá, um candelabro de sete braços, um dos principais símbolos do Judaísmo; algumas das inscrições podem indicar nomes.
    A descoberta foi feita quando os funcionários da IAA inspecionavam o local previsto para ser transformado em uma creche no distrito de Arnona.
    As inscrições foram escritas em aramaico com alfabeto hebraico
    As inscrições foram escritas em aramaico com alfabeto hebraico

    Nos muros, havia letras em aramaico, a língua falada há 2 mil anos, escritas no estilo cursivo hebraico, o que, segundo a IAA, “era comum no final do período do Segundo Templo”.
    Havia também uma série de símbolos escritos com lama ou rabiscados no gesso.
    “Não há dúvidas de que essa é uma descoberta muito significativa”, disseram os chefes da escavação, Royee Greenwald e Alexander Wiegmann.
    “Tamanha concentração de inscrições e símbolos tão antigos em um sítio arqueológico e num estado tão grande de preservação é algo muito raro, único e até intrigante”.
    Os símbolos e as inscrições já foram transferidos do mikvá para laboratórios de conservação. A Autoridade de Antiguidades de Israel diz que planeja exibir as inscrições para o público em breve.