quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

WhatsApp vai lançar o recurso ‘desenviar’!


© Whatsapp
  O aplicativo de mensagens mais popular do momento parece que ouviu nossos pedidos e está planejando lançar o recurso mais útil de todos.  
Está em fase de testes um recurso chamado revoke message, ou revogar mensagem. Isso significa que, depois que você enviar a mensagem, você tem a chance de se arrepender e tirar ela do ar. E, se você for rápido o suficiente, antes mesmo que alguém veja!
Do outro lado, a pessoa vai saber que uma mensagem foi revogada, ou apagada, mas você pode bem fazer a discreta e nunca comentar o que era. Dá para alegar que estava com algum erro de ortografia bem feio e você preferiu escrever de novo

Por enquanto o recurso está liberado para pouquíssimos usuários de iOS, na versão beta 2.17.1.869. Esperamos que o WhatsApp libere para todo mundo logo! Seria um lindo presente de Natal
fonte: 
  •  
  • Após ter tentado a reabilitação 21 vezes, homem decide por eutanásia...
  • Mulher atacada com seringa pode ter tido substância injetada...
  • Tremor de magnitude 6,9 ocorre no Oceano Pacífico,...
  • Argentina cria multa contra assédio sexual nas ruas...
  • Mulheres da Venezuela vendem cabelo para comprar comida...
  • Câmara instala comissão para discutir aborto
  • Roraima: Governo decreta emergência com aumento de venezuelanos...
  • Corrupção desvia mais de R$ 1,2 bilhão da saúde ...
  • Reino Unido legaliza filhos com DNA de três progenitores

    O Reino Unido se converteu nesta quinta-feira no primeiro país a permitir e regular a concepção in vitro de crianças com o DNA de três pessoas para prevenir doenças hereditárias graves


    © Fornecido por AFP O Reino Unido se converteu nesta quinta-feira no primeiro país a permitir e regular a concepção in vitro de crianças com o DNA de três pessoas para prevenir doenças hereditárias graves
    O Reino Unido se converteu nesta quinta-feira no primeiro país a permitir e regular a concepção in vitro de crianças com o DNA de três pessoas para prevenir doenças hereditárias graves, após a autorização do organismo regulador.
    A Autoridade de Fertilização e Embriologia (HFEA) retirou com sua autorização o último obstáculo para permitir a técnica, "pioneira no mundo" e um momento "histórico", nas palavras de sua presidente, Sally Cheshire.
    fonte:AFP

    Em 7 anos, mulher de Cabral fez 67 viagens internacionais


    © Fornecido por New adVentures, Lda.
    Adriana Ancelmo, advogada e mulher do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, viajou 67 vezes ao exterior num período de sete anos, durante o tempo em que o marido governou o RJ - de 2007 a 2014.
    De acordo com o G1, as viagens foram reveladas pela procuradora da República Silvana Battini, durante o julgamento de pedido de habeas corpus para o casal Cabral, nesta quarta-feira (14).
    A média de viagens internacionais da mulher de Cabral era de uma a cada um mês e 20 dias. Agora, o Ministério Público Federal quer descobrir o motivo de tantas viagens: se foi turismo ou investimentos em conta e bens fora do país.
    Em uma das viagens, Adriana foi a Londres e chegou a gastar R$ 145 mil no cartão de crédito.
    No depoimento, a advogada se manteve em silêncio e disse que falaria apenas na Justiça. O habeas corpus foi negado e o casal continua preso. Adriana Ancelmo está detida no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste da capital fluminense.
    fonte: Notícias ao minuto




    Morre Felipe Hernandes, filho do casal fundador da Renascer

    medicina1: O bispo Felipe Hernandes (Foto: Reprodução)
    © Fornecido por Abril Comunicações S.A. O bispo Felipe Hernandes (Foto: Reprodução)


    Morreu nesta quarta (14) Felipe Daniel Hernandes, filho do apóstolo Estevam Hernandes e a bispa Sônia Hernandes. O herdeiro dos fundadores da Renascer estava em coma havia cinco anos por complicações em uma cirurgia de redução de estômago. 
     Conhecido como Bispo Tid pelos fiéis da Renascer, Felipe vivia em estado vegetativo no Hospital Albert Einstein. Ele havia tentado diversas dietas, sem sucesso, quando decidiu tentar o procedimento. Meses depois da operação, contraiu bactérias que o deixaram em coma e, após a internação, teve novas complicações. Ele completaria 38 anos no dia 27 deste mês.
    fonte:Veja


    Temer é citado pela 2ª vez em delação da Odebrecht

    O presidente Michel Temer© image/jpeg O presidente Michel Temer
    Um dos principais executivos da construtora Odebrecht, o empresário Márcio Faria da Silva disse à Procuradoria-Geral da República que operacionalizou o repasse de recursos a pedido do presidente Michel Temer e do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A liberação do dinheiro, segundo contou, estava vinculada à execução de contratos da empreiteira com a Petrobras. A informação consta no acordo de delação premiada assinado pelo executivo. Em 2010, Michel Temer recebeu, em seu escritório político em São Paulo, Márcio Faria da Silva para uma conversa, da qual também participaram Eduardo Cunha e o lobista João Augusto Henriques, coletor de propinas para o PMDB dentro da Petrobras.
    O Palácio do Planalto confirmou o encontro, mas informou que foi Cunha quem pediu a conversa a Temer, dizendo que o executivo gostaria de conhecê-lo.  A assessoria do presidente acrescentou que na reunião, que teria durado cerca de 20 minutos, não se tratou de questões financeiras, mas só de formalidades. Nada além disso. “Se, depois da conversa de apresentação do empresário com Temer, Eduardo Cunha realizou qualquer acerto ou negociou valores para campanha, a responsabilidade é do próprio Eduardo Cunha”, afirmou a assessoria de Temer.
    Márcio Faria da Silva é um dos 77 delatores da Odebrecht. Entrou na empresa em 1978 e escalou de forma meteórica o seu organograma, tornando-se um dos principais executivos da construtora. No comando da Odebrecht Engenharia Industrial, participou de grandes obras da Petrobras, como o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e as refinarias de Abreu e Lima, Araucária e São José dos Campos. Um de seus principais contatos na estatal era Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento.
    Representante de interesses suprapartidários, inclusive do PMDB, Costa disse à força-tarefa da Lava Jato que negociou o repasse de propinas com Márcio Faria da Silva. Operador do petrolão, o doleiro Alberto Youssef ratificou essa versão, o que levou o Ministério Público a processar o executivo por improbidade administrativa. Para o MP, ele teve papel decisivo na costura do cartel de empreiteiras que fraudou contratos e desviou bilhões de reais da Petrobras.
    Márcio Faria da Silva é o segundo executivo da Odebrecht a implicar Temer no esquema de corrupção investigado pela Lava Jato. Ex-diretor de Relações Institucionais da empresa, Cláudio Melo Filho contou que num jantar em maio de 2014, no Palácio do Jaburu, o então vice-presidente Michel Temer, acompanhado do então deputado Eliseu Padilha, pediu uma ajuda financeira a Marcelo Odebrecht. Ficou combinado o repasse de 10 milhões de reais, dos quais 6 milhões de reais foram reservados para Paulo Skaf, então candidato do PMDB ao governo de São Paulo, e 4 milhões de reais para Eliseu Padilha, hoje chefe da Casa Civil.
    VEJA revelou o caso em agosto passado. Ao assinar seu acordo de delação premiada, Melo Filho detalhou um pouco mais o rateio do butim. Ele declarou que parte dos 4 milhões de reais foi entregue em espécie no escritório de advocacia de Eliseu Padilha em Porto Alegre. Outra parte, também não especificada, foi entregue em dinheiro vivo no escritório de advocacia de José Yunes, o amigo de Temer que se demitiu ontem do cargo de assessor especial do presidente. Melo Filho diz ter ouvido do próprio Padilha que 1 milhão de reais foi entregue a Cunha. O ex-deputado, portanto, teria se beneficiado dos valores pedidos por Michel Temer a Marcelo Odebrecht.
    Preso pela Operação Lava Jato, Cunha era operador financeiro do PMDB. Foi ele quem conseguiu da própria Odebrecht doações generosas a políticos ligados a Michel Temer — entre eles, o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves, investigado no petrolão, e Gabriel Chalita, candidato peemedebista à prefeitura de São Paulo em 2012. É esse um dos motivos que justificam a apreensão do governo com a eventual delação premiada do ex-deputado, preso pela Operação Lava Jato. (Com reportagem de Hugo Marques)

    sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

    Após ter tentado a reabilitação 21 vezes, homem de 41 anos obteve o direito de morrer na Holanda.

    Marcel Langedijk diz que seu irmão sofria muito por causa do vício em álcool (Foto: BBC)
    Um caso de eutanásia na Holanda ganhou repercussão internacional nesta semana após Marcel Langedijk, de 44 anos, escrever um artigo para uma revista holandesa sobre a escolha de seu irmão Mark, que quis encerrar sua vida por causa do alcoolismo.
    Desde 2002, uma lei do país autoriza a opção da eutanásia para pessoas que vivem "um sofrimento insuportável" sem nenhuma perspectiva de melhora.
    A medida costuma ser utilizada principalmente em casos de doenças degenerativas, ou em estágio terminal. E justamente por isso a decisão que permitiu a morte de Mark atraiu tanto debate.
    "A coisa que mais me abala agora é que, para os outros, pode parecer que minha família e eu, e até meu irmão, fizemos isso apenas porque era conveniente. Deixa eu dizer algo pra vocês: isso não é conveniente de nenhuma forma", disse Marcel à BBC.
    Emocionado, ele contou que o irmão lutava contra a doença havia oito anos. E que tentou frequentar lugares de reabilitação por 21 vezes antes de ver a eutanásia como opção.
    Com 41 anos, Mark já havia tentado de tudo: psicólogos, psiquiatras e todos os tipos de profissionais de saúde que poderiam ajudá-lo a deixar o vício.
    "Mas parecia que nada poderia ajudá-lo a lidar com sua depressão e ansiedade, a não ser o álcool", disse Marcel.
    Por causa disso, Mark decidiu fazer o pedido da eutanásia. O procedimento, conforme descreveu Marcel, não é tão simples: é preciso passar por diversas avaliações médicas para se obter legalmente o direito de morrer.
    "Não é como se a gente não levasse isso a sério. Não é como se na Holanda nós saíssemos por aí matando alcoólatras", afirmou.
    "É muito complicado e é muito difícil. É um passo enorme. Para mim, é muito importante garantir que todos saibam que nós fizemos de tudo. Mas algumas pessoas são incuráveis. Se você não ajuda essas pessoas com isso, eles vão eventualmente fazer o pior, cometer suicídio."
    Marcel contou que a família deu todo o apoio a Mark em todas as vezes que ele foi para a reabilitação. "Nós tentamos entender, tentamos nos colocar no lugar de um viciado para ver o que saía errado. O que acontecia com ele?", questionou em seu artigo na revista.
    "Mas nós também ficávamos com raiva porque, depois que ele voltava da reabilitação, imediatamente voltava a beber."
    "A eutanásia era para pessoas com câncer, com dor insuportável, para quem a morte realmente estava iminente. A eutanásia certamente não era para alcoolatras."

    Último dia

    Mark escolheu seu último dia de vida. E tentou aproveitá-lo da maneira que mais gostava.
    "Foi um lindo 14 de julho. Estava muito calor, nós fomos lá para fora e ele disse: 'bom, essa é a minha última manhã'", conta Marcel.
    Em um dia gostoso em família, Mark riu, bebeu o último vinho - seu favorito -, fumou o último cigarro, comeu sanduíches de presunto e queijo e tomou uma sopa com almôndegas antes do médico chegar.
    "Nós dissemos que o amávamos muito e que ficaria tudo bem, que nós cuidaríamos um do outro e que nos encontraríamos de novo", disse Marcel.
    Mark chorou um pouco ao ver sua família em lágrimas na despedida. Mas quando o médico perguntou se ele tinha a certeza de que era isso mesmo que queria fazer, confirmou.
    E então vieram as três injeções. Uma era de uma solução com sal para limpar as veias de Mark. Depois, um anestésico para colocá-lo para dormir. E, por fim, a que faria seu coração parar.
    "Meus pais tiveram tempo de dizer adeus e ele teve o tempo de se despedir também. Se ele apenas tivesse atirado nele mesmo ou se jogado na frente de um trem, isso teria sido muito diferente. Teria sido cruel", resumiu Marcel.

    Critérios da lei holandesa para autorizar eutanásia:

    - O paciente tem sofrimento insuportável sem perspectiva de melhora.
    - O pedido precisa ser voluntário e persistir ao longo do tempo (não pode ser feito sob influência de outros, sob doença psicológica ou drogas).
    - O paciente precisa estar plenamente consciente das suas condições, das suas perspectivas e das opções que têm.
    - É preciso passar por consulta com pelo menos um médico independente que precisa confirmar as condições mencionadas acima.
    - O procedimento precisa ser feito de maneira apropriada na medicina, seja pelo próprio médico ou pelo paciente. Mas ao menos um médico precisa estar presente.
    fonte:G1

    Mulher atacada com seringa pode ter tido substância injetada no corpo

    Vítima de homem com seringa tem 40 anos (Foto: Reprodução/Youtube A Tribuna)vítima de homem com seringa tem 40 anos
    (Foto: Reprodução/Youtube A Tribuna)







    A mulher que afirma ter sido atacada com uma seringa por um desconhecido em um ponto de ônibus de Santos, no litoral de São Paulo, deve passar nesta sexta-feira (9) por exames no Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Um retrato falado do suspeito já foi divulgado por investigadores do 2º DP de Santos.
    Segundo a Polícia Civil, somente um diagnóstico mais preciso poderá identificar se a perfuração se trata da picada de uma agulha ou não. Caso a suspeita seja confirmada, também será possível saber qual teria sido a substância injetada na vítima, que apresenta dores de cabeça intensas desde a agressão.
    O ataque aconteceu no início da semana enquanto a mulher de 40 anos esperava um ônibus circular em frente à Santa Casa de Santos, no bairro Jabaquara. Ela tinha levado a neta no médico e aguardava para retornar para casa, em São Vicente.
    Polícia procura suspeito de atacar mulher com seringa em Santos (Foto: Divulgação / Polícia Civil)Polícia procura suspeito de atacar mulher com
    seringa em Santos (Foto: Divulgação / Polícia Civil)
    A vítima contou à polícia que, ao embarcar no ônibus, um suspeito apareceu e ela sentiu uma picada na altura das nádegas. A mulher olhou para trás, viu o homem se afastando, mas não notou nada nas mãos dele.
    De acordo com a polícia, a mulher percebeu os ferimentos apenas ao chegar em casa, quando começou a sentir muitas dores no local do furo. Ela notou que o homem desembarcou na Vila Margarida, em São Vicente, e fez uma descrição física do suspeito para a polícia.
    A vítima foi orientada por familiares a procurar um hospital onde mora, em São Vicente, onde foi medicada contra doenças sexualmente transmissíveis - já que não se sabe o que havia na seringa.
    Na delegacia, os investigadores mostraram fotos de um "maníaco da seringa" que estava agindo em São Paulo, mas não houve reconhecimento por parte da vítima - por isso, a polícia acredita que este seja o primeiro caso a acontecer na Baixada Santista. Os policiais pedem ajuda da população para encontrar o suspeito. Quem tiver informações pode entrar em contato com o 2º DP de Santos no telefone (13) 3234-6901.
    fonte:G1

    Tremor de magnitude 6,9 ocorre no Oceano Pacífico, perto das Ilhas Salomão



    Um tremor de magnitude 6,9 ocorreu nesta sexta-feira (já manhã de sábado, pela hora local) no Oceano Pacífico, perto das Ilhas Salomão, informou o Serviço Geológico dos EUA (USGS, na sigla em inglês). O epicentro está a cerca de 90 km da cidade de Kirakira, a uma profundidade de 10 km.
    fonte:G1

    Argentina cria multa contra assédio sexual nas ruas

     

    Imagem: Divulgação
    Pesquisas mostram que cerca de 97% das mulheres argentinas já passaram por alguma situação de assédio na rua



    As autoridades argentinas aprovaram nesta semana a criação de uma punição para os autores de assédio sexual nas ruas da capital. Quem assediar mulheres terá que pagar multa de até mil pesos (cerca de R$ 200). A informação é da ‘Rádio França Internacional’, reproduzida pela ‘Agência Brasil’.
    Pesquisas mostram que cerca de 97% das mulheres argentinas já passaram por alguma situação de assédio na rua. Para lutar contra isso, a nova medida vai punir todos os “comentários sexuais diretos ou indiretos sobre o corpo, fotografias e gravações de partes íntimas sem o consentimento, contato físico impróprio ou não consensual, perseguição, masturbação e exibicionismo”. O texto define como assédio “tudo o que toca a dignidade e o direito à integridade física e moral”.
    A discussão foi lançada após uma série de assassinatos recentes de mulheres, vítimas de seus companheiros. Segundo estatísticas oficiais, uma argentina morre em situação de violência conjugal a cada 30 horas. Em outubro, a mobilização tomou conta da Argentina, após a morte da adolescente Lucia Pérez, de 16 anos, que foi drogada, estuprada e violentamente assassinada.
    O feminicídio – assassinato motivado pelo fato de a vítima ser uma mulher – foi inscrito no Código Penal argentino em 2012. Desde então, ele é considerado um fator agravante em caso de condenação por homicídio, que pode resultar em prisão perpétua no país.

    Fonte: Agência Brasil